Inicia o 43º Festival de Cinema de Gramado

O tradicional evento do cinema nacional e latino se inicia em Gramado, Rio Grande do Sul, com uma programação extensa e muitos homenageados. Fortalecendo o título de maior Festival de Cinema ininterrupto do Brasil, ao longo destas quatro décadas, a mostra se adapta a novas tendências do audiovisual e traz novos olhares do cinema brasileiro contemporâneo.

Neste ano a curadoria permanece nas mãos de Marcos Santuario, Rubens Ewald Filho e Eva Piwowarski.

Além do Palácio dos Festivais, centro do evento, o Tapete Vermelho – e quem por ele desfila – é o elemento que mais desperta atenções do público na Rua Coberta, em Gramado.

Tapete Vermelho do 43 Festival de Cinema de Gramado

 

 

A concepção do projeto deste ano é do arquiteto Bernardo de Magalhães, sócio fundador da Mag Arquitetura que conta sua inspiração “O número de nações competidoras aumentou substancialmente e era importante retratar isso na composição cenográfica”.

A cidade inteira respira o Festival, sendo que o projeto contempla, além da Rua Coberta e do Palácio, as ruas e acessos de Gramado.

Acesso principal de Gramado

 

Banners pelas ruas de Gramado

A Duocasa, pelo quinto ano consecutivo, apoia o Festival e recebe seus convidados para vivenciarem uma experiência de celebridade no Tapete Vermelho.

Marcas apoiadores do Festival deste ano

Acompanhe pelo Blog a cobertura completa do evento.

SERVIÇO

Data: de 07 a 15 de agosto

Local: Palácio dos Festivais – Gramado, RS

Horário:

Manhã: Reprise de longas em competição

Tarde: Debates dos filmes concorrentes

Noite: Tapete Vermelho e exibição dos Curtas e Longas Metragens concorrentes

 

Rubens Ewald Filho na sala DUOCASA no Festival de Cinema

O espaço  assinado pela DUOCASA no Festival de Cinema de Gramado recebeu o crítico de cinema Rubens Ewald Filho. O evento segue movimentando a cidade. Hoje à noite, no Palácio dos Festivais, tem a exibição do longa Medianeras – Buenos Aires na era do amor virtual, de Gustavo Taretto. A segunda exibição é do longa Ponto Final, de Marcelo Taranto.